Acompanhe este blog. Seja um "Seguidor"

Lenda Dos Diamantes

Os Diamantes

Segundo a lenda, um casal de índios vivia, juntamente com sua tribo, à beira de um rio da região Centro-Oeste. Ele, um guerreiro poderoso e valente, chamava-se Itagibá, que significa “braço forte”. Ela, uma jovem e bela moça, tinha o nome de Potira, que quer dizer “flor”. Viviam os dois muito felizes, quando sua tribo foi atacada por outros selvagens da vizinhança. Começou a guerra e Itagibá teve que acompanhar os outros guerreiros que
iam lutar contra o inimigo. Quando se despediram, Potira não deixou cair uma só lágrima, mas seguiu, com o olhar muito triste, o marido que se afastava em sua canoa que descia o rio. Todos os dias, Potira, com muita saudade, ia para a margem do rio, esperar o esposo. Passou-se muito tempo. Quando os guerreiros da tribo regressaram à sua taba, Itagibá não estava entre eles. Potira soube, então, que seu marido morreu lutando bravamente. Ao receber essa notícia, a jovem índia chorou muito. E passou o resto da vida a chorar. Tupã, o deus dos indíos, ficou com dó e transformou as lágrimas de Potira em diamantes, que se misturaram com a areia do rio. É por isso, dizem, que os diamantes são encontrados entre os cascalhos e areias do rio. Os diamantes são as lágrimas de saudade e de amor da índia Potira.

13 comentários:

  1. Muito bom! Fiz uma adaptação do texto e vou usar para o meu trabalho. Muito obrigada

    ResponderExcluir
  2. Eu vou usar esse texto para a minha apresentação na escola

    ResponderExcluir
  3. que shou vai me ajudar fazer o trabalho deportugues

    ResponderExcluir
  4. amei muito bom me ajudou a fazer o trabalho de artes parabens pelo texto e valeu

    ResponderExcluir
  5. nao eram maridos eram namorados e se encontravam na beira do rio ou lagoa enquanto esperavam o casamento.. encontrei em outro site

    ResponderExcluir
  6. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  7. Lindo, vai me ajudar no trabalho de artes obg

    ResponderExcluir
  8. Achei muito explicativo sobre esta história. Muito bom.

    ResponderExcluir